Vencedor do 4º Concurso de Contos “Águas do Tijuco” de Ituiutaba e de Resende da Costa/MG

O 4º Concurso de Contos “Águas do Tijuco de Ituiutaba reconhecido nacionalmente, pela qualidade dos contistas participantes, da comissão julgadora e pela premiação paga ao vencedor, considerado um dos maiores prêmio literário do Brasil, teve como vencedor, o mineiro de Resende da Costa, Márcio André Oliveira Santos, com o conto “Coisas de minha avó”. Esse ano, na quarta edição, o concurso teve à participação de mais de quinhentos contistas escritos, numa disputa que deu muito trabalho a comissão julgadora para se chegar ao vencedor, devido à qualidade dos contos inscritos. Contos vindos de quase todos os estados brasileiros e do exterior, inclusive, de contistas de Ituiutaba.
Para o presidente da Fundação Cultural, advogado e professor Francisco Roberto Rangel, entre as várias atividades exercidas pela Fundação, destaca com muito brilho esse concurso, que segundo ele conta em média de participação de quinhentos contistas, em cada edição; contistas até do exterior, que tem levado realmente, o nome de Ituiutaba além fronteiras.
“Nessa oportunidade nós queremos agradecer a todos os parceiros, os responsáveis pelo sucesso desse concurso. Agradecer em especial ao prefeito, Luiz Pedro que é o grande incentivador da cultura aqui em Ituiutaba, ele não tem medido esforços no sentido de ajudar a nossa entidade, a realizar eventos com é esse concurso literário “Águas do Tijuco”, sucesso em todo país, destacou o presidente Rangel e aproveitou para cumprimentar o vencedor da quarta edição do concurso, Márcio André Oliveira Santos.
Segue abaixo a relação dos dez contos selecionados pela Comissão Julgadora, que fará parte do livro editado pela promotora, Fundação Cultural, porém, sem ordem de classificação, destacando apenas, o conto vencedor, “Coisas de minha avó”, que além da publicação, vai receber o prêmio de R$ 3.000,00 (três mil reais).
1º lugar: “Coisas de minha avó” – Márcio André Oliveira Santos – Resende da Costa – Minas Gerais
– Com as mãos vazias – Edileuza Bezerra de Lima Longo – São Paulo/SP
– A hóspede – Delmar Bertuol Alves da Silva – Matril Feliz/RS
– Córrego Sujo – Luiz Eduardo de Carvalho – Tatuapé/SP
– Rosário – Lilian Almeida de Oliveira Lima – Salvador/BA
– O Anjo e a Bola – Luiz Carlos Picinini – Sorocaba/SP
– Indulto – Tatiana Alves Soares Caldas – Rio de Janeiro/RJ
– Vestido de Estrelas – Aline Naomi Sassaki – São Paulo/SP
– Ecce Homo! – João Wilson Savino Carvalho – Macapá/AP
– Festa a São João na Vila de São Damião – Paulino Sales Abranches – Itajubá/MG

 
Saiba mais sobre Ituiutaba, acesse: www.portalituiutaba.com.br
(Ituiutaba, 4 de janeiro de 2016).

X Concurso Contos do Tijuco “VALNICE PEREIRA”

A L A M I
Academia de Letras, Artes e Música de Ituiutaba.
Entidade de utilidade publica municipal – lei 3896.
Ano de fundação 1.996.
alamiacademia@yahoo.com.br
www.alami.xpg.com.br

X Concurso Contos do Tijuco
“VALNICE PEREIRA”

A ALAMI e a Fundação Cultural de Ituiutaba agradecem a imensa participação dos escritores (440 contos inscritos) e garantimos que sempre faremos o máximo esforço para continuarmos merecendo essa confiança que depositam em nosso trabalho.

Agradecemos, também, aos sites que divulgam os nossos concursos, em especial ao escritor Rodrigo Domit (RJ) que dirige o site – http://concursos-literarios.blogspot.com.br/
Nossos agradecimentos a Comissão Julgadora que suaram a testa para
escolherem os contos premiados.

Resultado

Primeiro lugar – O urubu e o gavião
Autor – Luiz Fernando Lima Oliveira

Dados biográficos: O autor é pernambucano, do Recife, nascido em 22 de agosto de 1978. Formou-se em Direito pela UFPE e trabalha como advogado em Porto Alegre – RS, para onde se mudou em 2007. Participa de Oficinas Literárias, de contos e poesias. No âmbito das letras, foi agraciado com o prêmio SESC/DF 2015 de melhores crônicas (3º. Lugar) e classificado no 5º. Concurso de Micro contos de humor de Piracicaba/SP, edição 2015.

Nove selecionados – nomes do conto e autor –
Ordem alfabética:
A Casa dos espelhos
Autor: João Lisboa Cota – Ponte Nova – MG
A gaita
Autor: Whisner Fraga – Ituiutaba – MG
Amor de Comer
Autora: Ana Cristina Moital Martins Luiz – Lousa LRS/Portugal
Estenda tuas mãos em forma de concha
Autora: Giovanna Artigiani – Campinas – SP
Desconectados
Autor: Edweine Loureiro da Silva – Manaus – AM
Destroços
Autor: José Eugênio Borges de Almeida – Maragogi – AL.
Mosaico
Autor: Felipe Cattapan – Rio de Janeiro – RJ
Os dois lados de um mesmo erro
Autor: Gustavo Fontes Rodrigues – São Paulo – SP
Rota de Fuga
Autora: Tatiana Alves Soares Caldas – Rio de Janeiro – RJ

COMISSÃO JULGADORA DO X CONCURSO CONTOS DO TIJUCO

Arth Silva
Redator, ilustrador, publicitário, escritor, poeta, crítico literário,
Blog: www.sonhandoaderiva.blogspot.com.br
e-mail – fsarthur@yahoo.com.br

Sandra Modesto
Pós-graduada em Educação – FEIT/UEMG
Graduada em Letras- (Português/Inglês) – FEIT/UEMG
Coordenadora do projeto: Oficina literária para a terceira idade.
Escritora.
e-mail: modestosandralucia@gmail.com

Dr. Jarbas Wilson Avelar – advogado – professor – escritor – cronista do Jornal do Pontal
e-mail – jarbasavelar@yahoo.com.br

EDITAL DE INCINERAÇÃO DE DOCUMENTOS

EDITAL DE INCINERAÇÃO DE DOCUMENTOS
FUNDAÇÃO CULTURAL DE ITUIUTABA/FCI – N° 001/2015

O Ilmo Sr. Dr. Francisco Roberto Rangel, Presidente da Fundação Cultural de Ituiutaba, no uso de suas atribuições legais e constitucionais, especialmente escudado no art. 1.215 e parágrafos do Código de Processo Civil, para incineração de arquivos e processos referentes aos Concursos de Canto de Ituiutaba, dos exercícios 2003 e 2004. Considerando, a impossibilidade de microfilmagem, digitalização ou outro processo congênere, não obstante inexistir atualmente espaço para guarda de novos documentos, faz saber a todos os interessados ou que do presente edital tomarem conhecimento, que no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data de sua publicação, serão INCINERADOS. Ressalta-se, que no prazo de publicação do presente edital, será facultado a eventual interessado o desentramento, às suas expensas, ou a microfilmagem total ou parcial dos arquivos. Eventual documento de valor histórico deverá ser recolhido ao arquivo da Galeria de Antiguidades, por servidor especialmente designado para esse fim. Finalmente, para que não seja posteriormente alegado o desconhecimento ou ignorância do teor do presente edital, determino a fixação de cópias do mesmo nos locais de costume da Fundação Cultural de Ituiutaba, bem como publicação em órgão de imprensa on-line, de forma a assegurar a mais ampla publicidade. Dado e passado na comarca de Ituiutaba-MG, na sede da Fundação Cultural de Ituiutaba, aos 11 dias do mês de dezembro de 2015.

Dr. Francisco Roberto Rangel
Presidente da Fundação Cultural de Ituiutaba

FUNDAÇÃO CULTURAL DE ITUIUTABA CONCURSO DE CONTOS ÁGUAS DO TIJUCO

FUNDAÇÃO CULTURAL DE ITUIUTABA
CONCURSO DE CONTOS ÁGUAS DO TIJUCO

O Presidente da Fundação Cultural de Ituiutaba – FCI, no uso de suas atribuições legais, COMUNICA aos candidatos do CONCURSO DE CONTOS ÁGUAS DO TIJUCO, seu sobrestamento e dá outras providências:

DOS MOTIVOS
Em Face, da greve dos servidores administrativos da FACIP/UFU, campus do Pontal, e IFTM – Instituto Federal do Triângulo Mineiro, que impede a indicação de docentes das Instituições para análise e julgamento dos trabalhos inscritos;
Fica estabelecida a retomada das fases de leitura, análise e julgamento dos contos, tão logo sejam retomadas as atividades das Instituições citadas com a conseqüente indicação dos jurados avaliadores e, ao final, a comunicação do conto vencedor.

 

Ituiutaba, 21 de Setembro de 2015.

 

Francisco Roberto Rangel
Fundação Cultural de Ituiutaba

Agora na Fundação Cultural de Ituiutaba oficina do HIIT e treinamento funcional

Procurando da maior opção para as pessoas que querem e precisam estar em forma, para enfrentar os desafios do dia a dia, quer seja esportivo, profissional ou social, a Fundação Cultural buscou um dos mais revolucionários métodos esportivo e aeróbico, para você estar sempre em forma, na oficina do “HIIT”.
Benefícios do HIIT:
– aumenta o seu metabolismo;
– Rápido e eficiente na queima de gordura;
– Perda de peso sem alterar a massa muscular.
Benefícios do treinamento funcional:
Além da tonificação muscular, o treinamento funcional implica maior complexidade do movimento e envolvimento de várias capacidades físicas. Isso faz o organismo ter um gasto energético muito maior, além de trazer grandes contribuições, como melhora da flexibilidade, emagrecimento, otimização da coordenação motora, equilíbrio e condicionamento cardiorrespiratório. Isso tudo além de motivação e do aumento da autoestima.
Aulas: Segundas, quartas e sextas-feiras 9h às 10h, terças-feiras de 19h às 20h., sextas-feiras de 19h às 21h.
Maiores informações no Espaço Cultural Benedito Santana, na Rua 24 com avenidas 19 e 21, nº 1342, fone (34) 3261-4113 ou (34) 99878-3451.
Saiba mais sobre Ituiutaba, acesse: www.portalituiutaba.com.br
(Ituiutaba, 20 de julho de 2016).

Folia de Reis Estrela do Oriente realiza neste dia 30 julho, sua tradicional Festa de Reis

Capitão João da Abadia comanda a Folia de Reis Estrela do Oriente a 62 anos

A Folia de Reis Estrela do Oriente vai realizar neste dia 30 de julho de 2016, a partir das 18h nas dependências da Vaca Mecânica, no Bairro Pirapitinga, a sua tradicional Festa de Reis, que acontece nesta cidade há 62 anos, sob o comando do Capitão João da Abadia e que tem o apoio da Fundação Cultural de Ituiutaba.
Durante a festa haverá o terço de reis, a chegada da Folia passando pelos três arcos que representa o nascimento do menino Jesus e a visita dos três Reis Magos, Gaspar, Baltazar, Melchior. Em seguida e servida janta aos foliões e depois, inicia-se o baile.
Origem da Folia de Reis Estrela do Oriente
Não há uma data exata de quando o grupo começou, uma vez que essa tradição tem sido passada de pai para filho (sogro para genro, etc.) Mas acredita-se que começou por volta de 1950. De acordo com o Sr. João Luiz (Capitão João da Abadia), esse tomou a frente do grupo em 1954, precisamente no dia 07/01.
É uma tradição religiosa, onde se reza o terço na saída e na chegada.
O deslocamento do grupo geralmente é feito através de patrocínio ou até mesmo a despesa é feita pelo festeiro (anfitrião da festa/folia de reis).
Ainda de acordo com o Capitão João Abadia, existe rivalidade (mesmo sendo pouca) pelos grupos.
A realização destas festas não tem fins lucrativos. Apenas a gratidão por graças alcançadas.Folia de Reis Estreala do Oriente a 62 anos realizando a sua tradicional Festa de Reis

“A tradição está acabando, a juventude de hoje não se interessa por esse tipo de evento, hoje você convida um jovem para participar, ele se recusa, talvez por desconhecimento, outras vezes por falta de interesse mesmo, contudo acredito que quando conhecemos e queremos conhecer a tradição, ficamos encantados, é uma sensação de graça, de paz, indescritível, só participando mesmo pra poder descrever”, disse o Capitão João da abadia.
Esta tradição ainda não acabou por ser preservada por grupos familiares.

Os organizadores convidam a todos para participarem desta tradicional Festa de Reis. Entrada franca…

 

 

Saiba mais sobre Ituiutaba, acesse: www.portalituiutaba.com.br
(Ituiutaba, 20 de julho de 2016)

27º Encontro de Trabalhadores Espíritas do Conselho Regional Espírita do Pontal do Triângulo – 17ª região

O Conselho Regional Espírita do Pontal do Triângulo Mineiro – 17ª região está distribuindo convite às famílias espíritas e simpatizantes de Ituiutaba, Araporã, Cachoeira Dourada de Minas, Canápolis, Capinópolis, Centralina, Gurinhatã, Monte Alegre de Minas e Santa Vitória, para participarem do 27º Encontro de Trabalhadores Espíritas a se realizar no dia 31 de julho de 2016 a partir das 07h, na Escola Estadual “José Ezequiel de Queiróz, na Rua 5, nº 336 – Canápolis/MG, obedecendo o seguinte programa:
EDUCAÇÃO COM JESUS
07h às 08h30 – Recepção e café da manhã
08h30 – Abertura
09 às 11h – Palestra: “Educação com Jesus – Religiosidade e sexualidade”
Palestrante – Emerson Pedersoli – BH?MG
11h às 12h30 – Almoço (Cortesia)
12h30 às 13h – Alegria cristã
DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA FRATERNA
13h às 14h – Jesus na assistência fraterna
Palestrante: Walter Mendes de Souza
14h às 15h – O evangelho na assistência fraterna
Palestrante – Gilmar Divino Silva
15h às 16h – atividade prática de assistência fraterna
Palestrantes – Cícero Romão e Nara Lemos Bonon
DEPATAMENTO DE INFÂNCIA E JUVENTUDE – (Crianças de 6 a 9 anos)
09h ÀS 10h – Evangelizando com Jesus
Palestrante – Nívia Menezes
10h às 11h – Jesus e as crianças
Participantes – Daiane Soares Silveira e Manoela Soares Silveira
13 às 14h30 – Fabiana Martins Barbosa
14h30 às 16h – Reinalda Maria Nunes
CRIANÇAS DE 10 a 12 anos
09h às 10h – Evangelizando com Jesus
Daiane Soares Oliveira e Manoela Soares Oliveira
10h às 11 h – Jesus e as crianças
Fabiana Martins Barbosa
13h às 14h30 – A pedagogia de Jesus
Renato Ribeiro
14h30 às 16h – Atividade com perguntas e respostas
CRIANÇAS de 13 anos
13h às 14h30 – O jovem Jesus
Luciano Barbosa da Silva
14h30 às 16h – Conversando com os jovens
Debate.
DRPARTAMENTO DE INFÂNCIA E JUVENTUDE
13H ÀS 14H – Os vícios e a dificuldade de relacionamento no lar – Ituiutaba
14h às 15h – A importância da religiosidade na família – Capinópolis.
15h às 16h – A educação sexual no lar – Santa Vitória
SALA TEMÁTICA
13h às 14h30 – Quais as dívidas quanto ao Espiritismo?
Luciano de Moraes Miranda
14h30 às 16h – Jesus na assistência fraterna
Walter Mendes Souza
SALA PARA DIRIGENTES E ASSUNTOS DA MEDIUNIDADE
13h às 14 h – Atitude e comportamento do mediu espírita
Cristiano Mendes Gonçalves
14h às 15h – Princípios do atendimento fraterno no centro espírita
André Luiz de Oliveira
15h às 16h – O dirigente e a formação de novos trabalhadores
Jander José Tomaz
Maiores informações sobre o encontro: Tolendal – 99962-1716 (Canápolis)
Márcia: 99897-1887(Excursão de Ituiutaba). Apoio Banca do livro espírita “Allan Kardec, Praça do Fórum – Ituiutaba/MG. Parceira: dacebook.com/sintonia.maior
Palestra Falando de sexualidade em família
Acontecerá ainda no dia 30/07/2016, na cidade de Monte Alegre de Minas, uma importante palestra sobre: “Falando de sexualidade em família”, proferida por Emerson Pedersoli, de Belo Horizonte – MG. Realização da família espírita de Monte Alegre/MG.
Apoio: Assessoria de Imprensa da Fundação Cultural de Ituiutaba.

 
Saiba mais sobre Ituiutaba. Acesse: www.portalituiutaba.com.br
(Ituiutaba, 20 de julho de 2016).

A aliança Municipal Espírita de Ituiutaba realiza a 51ª Semana Espírita Maria José Fratari

“Encontro com Jesus – Compromisso e responsabilidade”
Aliança Municipal Espírita de Ituiutaba convida às famílias espíritas e simpatizantes para participarem da 51ª Semana Espírita Maria José Fratari, quando serão proferidas inúmeras palestras, a se realizar de 25/07 a 29/07 nos seguintes locais e horários:
25/07 – Segunda-feira – Palestra: A tolerância em tempos de crise – palestrante Luciano Barbosa da Silva – Local: Grupo Espírita Francisco de Assis – Rua Vander R. Borges, nº 745 – Bairro Novo Tempo 1
26/07 – Terça-feira – Palestra: Ide e pregai a Boa Nova – Palestrante Ricardo Abalém – Local: Grupo Espírita Alfredo Júlio Fernandes – Rua Maria do Carmo A. C., nº 584 – Bairro Satélite Andradina
27/07 – Quarta-feira – Palestra: Justiça da reencarnação – Palestrante – Helen Virgínia O. Silva – Grupo Espírita Obreiros do Bem – Rua Pedro Alves Vilela, nº 777 – Bairro Cristina-
28/07 – Quinta-feira – Palestra: Como Amar os inimigos? – Palestrante – Valquíria de Araújo Alves Azambuja – Centro Espírita da Prece da Caridade – Rua Maria Rosa de Jesus, nº 687, Bairro Jardim Jamila
29/07 – Sexta-feira – Palestra: Encontro marcado com Jesus – Compromisso e responsabilidade (Haverá exposição de livros) – UMEI – Av. 21, nº 389 – centro.
Todas as palestras iniciarão às 20h. Participe!

QUEM FOI MARIA JOSÉ FRATARI
Maria José Fratari Araújo nasceu em Ituiutaba/MG, em 24 de junho de 1924. Filha de Dorcelina Dias Fratari e Otávio Fratari. Era casa com Jesus Majadas Araújo, ambos já falecidos. Tiveram Três filhos: Márcia Fratari Majadas, Marluce Fratari Majadas e Márcio Túlio Fratari Majadas. Há 53 anos ela partiu para o plano espiritual. Foi professora do então Grupo (Escola) Escolar João Pinheiro, onde atuou por dezoito anos. Durante esse período conviveu com crianças mal nutridas, mal vestidas anêmicas, em condições precárias de higiene. Exigia uma tomada de posição. Ela era integrante da Sociedade de Amparo à Infância de Ituiutaba, composta por abnegadas companheiras do bem. Fez-se, então, um trabalho de sindicância em toda periferia da cidade e constatou-se a existência de crianças desamparadas, bem como de orfandade. Campanhas filantrópicas intensificaram-se: enxovaizinhos para recém-nascidos foram confeccionados em alta escala, doações de leite em pó, agasalhos foram distribuídos a esta população carente. Toda cidade foi conclamada a ajudar. Toda cidade foi conclamada a ajudar. Então Zezé Fratari notou a necessidade da construção de uma casa para abrigar crianças desamparadas de Ituiutaba. Contando com a ajuda de um grupo de senhoras amigas conseguiu uma área de dois hectares de chão, por intermédio do prefeito desta cidade, na década de sessenta, Dr. David Ribeiro de Gouveia. O terreno era considerado muito longe, mas hoje situa-se em local privilegiado, na entrada do Bairro Ipiranga. Terreno todo murado, uma verdadeira chácara dentro da cidade. A ideia da construção foi colocada em prática e as paredes foram soerguidas sob a orientação do competente construtor José Garibaldi de Rosato. Para concretizar aquela construção foram feitas várias campanhas, doações vinham dos mais diversos meios. A Delegacia Federal da Criança destinou a época, a importância de 200.000 cruzeiros; quermesses realizadas no instituto Marden acrescentaram um bom numerário em dinheiro. A construção despertava o interesse dos ituiutabanos que viam a necessidade de uma casa para abrigar crianças abandonadas. Entretanto a idealizadora, do Lar da Criança, a presidente da Sociedade de Amparo a Infância de Ituiutaba, Maria José Fratari deixou prematuramente a sua veste física e a instituição em fase de construção. Seu esposo Jesus Majadas Araújo continuou o trabalho de construção. Ester Majadas Araujo, cunhada de Maria José, assumiu a presidência da Sociedade de Senhoras e do Lar, em janeiro de 1963. A obra foi concluída sob a direção de Ester Majadas, em 1969. Maria José Fratari desencarnou em 12 de outubro de 1962, data em que se comemora o “Dia da Criança”, mas deixou um exemplo de amor e fraternidade às crianças carentes de Ituiutaba. Hoje o Lar Espírita Maria José Fratari abriga 154 crianças, de 08 meses, a quatro anos de idade, em tempo integral. Atualmente o Lar Espírita “Maria José Fratari está sob a coordenação de Márcia Fratari Majadas e Marluce Fratari Majadas, filhas de Ester Majadas Araújo.
Apaio: Assessoria de imprensa da Fundação Cultural de Ituiutaba.
Saiba mais sobre Ituiutaba, acesse: www.portalituiutaba.com.br
(Ituiutaba, 19 de julho de 2016)

Desperdício

 

Ouvindo uma fala do senador Cristovam Buarque, sobre economia, quando ele busca uma palavra na língua portuguesa que seja o antônimo de desperdício e só encontra austeridade, fui despertado para o tema. O senador queria, na verdade, um termo que identificasse poupança séria, inteligente, mas que não significasseperda do padrão de vida, talvez um meio termo entre desperdício e austeridade, quando essa última significa cortar na própria carne. Esse procedimento é o recomendado pela economia aos governantes, sempre que o país está à bancarrota e precisa erguer suas finanças. Mas trazendo a discussão para o campo pessoal, a situação é mais séria, pois enquanto para um país a preocupação é dispersa, pois a responsabilidade é dividida e aos governantes subsiste um recurso que está sempre à mão, que se chama impostos, às famílias resta o recurso draconiano dos empréstimos seguido do carrasco chamado juro.
Essa situação é a que estamos vivendo agora, pois a economia sinaliza com indicativos tão fortes que não resta ao governo brasileiro outra alternativa a não ser medidas austeras, que logicamente recaem sobre os ombros dos trabalhadores, levando os mais honestos à penúria. Pois os “espertos”, depois de enriquecimento ilícito e após terem “dedurado” outros tantos, recebem, apesar de criminosos confessos, o prêmio da chamada prisão domiciliar, e vão viver felizes para sempre na faustosa vida de mansões luxuosas, provando para a sociedade que nessas circunstâncias, o crime compensa.
Quanto ao desperdício, que é uma das causas de todo desastre econômico, se houvesse esse quesito nos jogos olímpicos, o Brasil certamente ficaria com a medalha de ouro. O próprio senador Buarque se incluiu, quando cita os salários pagos aos congressistas como um desperdício. Esse é só um exemplo, pois basta rodar pelas estradas brasileiras e se vê a céu aberto enormes projetos de obras inacabados – desperdício absurdo do dinheiro do contribuinte. Sem falar de aparelhos para a saúde, caríssimos e se deteriorando em depósitos hospitalares, ou veículos como ambulâncias na mesma situação, exemplos mostrados já várias vezes pela mídia.
Daí, não precisa ser especialista para saber que a consequência do desperdício é o que temos visto: a fome, a ignorância, o desespero e consequentemente o crime. Chega-se a um ponto, que se a confiança em quem governa a naçãofor perdida, estaremos à beira do caos, pois torna-se o país de cada um por si e Deus por todos. Então a lei dos mais forte prevalecerá. Não é o que estamos assistindo? Quando vemos as forças que nos protegem sendo destroçadas pelo mal e contando com parcos recursos oficiais a não ser a boa vontade, a seriedade e a vocação pelo bem, que é o distintivo de tantos policiais por esse Brasil a fora?
A verdade é que estamos desperdiçando muita coisa. Energia elétrica, água, alimentos, recursos humanos e pessoas com potencial que poderia ajudar tanto. Talentosos cientistas deixam o país em busca de nações outras com maior segurança e que valorizam a pesquisa, o conhecimento e a cultura tratada com seriedade.

 
José Moreira Filho
moreira@baciotti.com

“Os Aforismos do Ciberpajé Edgar Franco” (126)

Chegamos à era do hiperentretenimento, o mercantilismo global e as
corporações dominantes descobriram que a forma ideal e silenciosa de
escravizar as massas de todos os estratos sociais é entretê-las com
idiotices que ocupem seu tempo e não os permita questionarem ou
rebelarem-se. A profusão insana de entretenimento vazio é descomunal,
uma avalanche que inunda o planeta e atinge todos os níveis
sócio-culturais, de entretenimentos da era eletrônica como a TV com
suas novelas, seriados, reality shows, programas de auditório, e
transmissão de esportes competitivos, passando pelos estádios de
futebol, pelos cinemas abarrotados de lixo dos shopping centers –
parques assépticos de hiperconsumo-, chegando aos entretenimentos
digitais atuais, com as redes sociais que em sua maioria despejam lixo
inócuo nos usuários. Os telefones celulares com seus inúmeros gadgets
hipnóticos e os jogos digitais de todas as formas, propostas e
modelos, em sua maioria repletos de clichês e obviedades, roubando o
tempo precioso de vida de bilhões de idiotas mesmerizados pelos pixels
piscantes. Massas de manobra globais acéfalas e pacíficas, engolindo
de bom grado tudo que lhes é impingido pelo poder instituído. Agora
entramos na era do SOLIPSISMO DE SILÍCIO em que paspalhos correm pelas
ruas com seus celulares em punho atrás de ridículos bonequinhos
virtuais arriscando suas vidas e a de outrem. George Orwell e Aldous
Huxley certamente se assustariam com nossa era e com o poder de suas
previsões. (Ciberpajé)
*
Lembre-se, seu porto seguro será arrastado pela tempestade, suas
economias serão devoradas pelos abutres, tudo que você acreditou
dar-lhe segurança derreter-se-á diante de seus olhos. Isso é viver! A
única segurança possível é o frio da tumba silenciosa, todo o resto é
e deve ser turbulência. Aprenda a navegar intensamente e serenamente
nas ondas do furacão! (Ciberpajé)
*
Politicalha é a política dos canalhas que tornam-se alpinistas sociais
visando posições de poder. Para esses vermes nada importa, apenas o
seu jogo sórdido de interesses e artimanhas. Eles estão dispostos a
passar por cima de qualquer um como um trator inescrupuloso e
devastador, e estão disseminados em todos os lugares como uma praga
infernal. Jamais submeta-se aos seus jogos obtusos, ou faça qualquer
tipo de concessão a eles, não abra sua guarda e seu campo energético,
ignore-os completamente. (Ciberpajé)
*
Quando falo em transmutar a minha realidade, não estou falando de um
poder colossal de impedir que caia a tempestade devastadora, ou de
curar a doença terminal daqueles por quem eu tenho afeto. Estou
falando do poder cósmico de compreender esses fatos e fluir com eles,
serenamente, vividamente, intensamente. (Ciberpajé)
*
Verborragia é a sangria desatada do verbo que acomete boa parte dos
acadêmicos de ciências humanas. Eles vivem tentando maquiar o seu
vazio, e a inaptidão para criar, com hermetismos estanques e
esdrúxulos. Vomitando suas terminologias mirabolantes e pomposas,
quase sempre importadas da Europa, reproduzindo experiências alheias e
pseudo-conceitos inovadores que não transformam absolutamente nada no
mundo, apenas hipnotizam alguns incautos que acreditam nas balelas
petulantesditas por eles. O mundo segue em direção ao abismo e esses
seres pedantes nada fazem a não ser cultivarem seus egos
estratosféricos e dialogarem com os grupelhos teóricos de seus
mundinhos de “faz de conta.” Tornam-se mestres e doutores na artimanha
de enganar tolos de todas as extirpes, de alunos a pareceristas de
periódicos tidos como importantes. Compõem parte da escória mais
deplorável do planeta, a dos hipócritas sanguessugas de energias
alheias. (Ciberpajé)
*
Dizem para você encontrar um sentido, mas não existe sentido, a não
ser para os militares. (Ciberpajé)
*

Edgar Franco é Ciberpajé, artista transmídia, pós-doutor em artes pela
UnB, doutor em artes pela USP, mestre em multimeios pela Unicamp e
professor do Programa de Doutorado em Arte e Cultura Visual da UFG.
Acadêmico da ALAMI, possui obras premiadas nacionalmente nas áreas de
arte e tecnologia e histórias em quadrinhos. ciberpaje@gmail.com

Evolução dos tempo

Para os primitivos, antepassados bem remotos, conhecimentos elementares e frágeis, a noção de MUNDO era muito limitada e restrita. Baseavam-se apenas nos arredores. Céu, terra, lua e sol, mares e rios, contidos nos espaços por eles ocupados. Segundo historiadores, antropólogos que estudavam e analisavam seres humanos, grupos e etnias, dando ênfase às diferenças, à medida que o desenvolvimento chegava o planeta se “alargava ou se estendia”… Isso segundo a concepção de cada um, por ignorarem conhecimentos precisos; praticavam sua cultura, de forma aleatória com meras estruturas educacionais e práticas de forma inconsequente. A vida se resumia mo mínimo necessário. A educação contemporânea tem extrapolado limites, com a versatilidade, inovações, modernidade e auto conhecimento; é algo inexplicável tal a forma como se processa… Habilita até os menos providos de saberes básicos, tal a facilidade que encontram via internet; tudo ali de forma escancarada… A infância e adolescência têm dado show na autoaprendizagem e execução. Aprendem o necessário e até o desnecessário… Furta-lhes a oportunidade de serem crianças. A impressão que se tem é que já nasceram adultos, tal o desembaraço, desempenho e interesse pelo desconhecido… Vive-se atualmente a era das tatuagens…Pobre daqueles que não tenham pelo menos uma dúzia delas no corpo, são considerados bregas e antiquados, sem falar na idade; até os velhotes estão nessa… A tatuagem existe há muito, porém era próprio de pessoas cuja reclusão, e com tempo disponível, passavam dias se tatuando, inclusive muito doloridas e sem os devidos cuidados normais de higiene, poucas ou várias unidades… Imagina-se hoje, como será o futuro de 20, 30, ou 50 anos, em que as atuais tatuagens estarão modificadas pela elasticidade da pele. Eliminá-las seria absurdo e muito dolorido, uma vez que há pessoas, cujo corpo encontra-se recoberto por gravuras, imagens, nomes, animais, aves, flores, faces, caveiras e principalmente emblemas e códigos, coloridas ou não…! Cada um é cada um, com opções livres… Com a tatuagem fixou-se também os brincos, pingentes, piercing no nariz, nos lábios, orelhas, tronco e em locais imagináveis. É muito bom ter liberdade e poder usá-la, ignorando opiniões… Sem dúvida, evidência do celular com inovações mirabolantes e milagrosas, internet a mil, fones de ouvido; destaque para bandas com ritmos os mais variados, sertanejo, fank, pagode, pop e outros, como a Galeria do Rock… Qual será a pauta para os próximos lançamentos?! O homem já andou de “quatro”… Hoje exibe uma postura charmosa e admirável; sem falar daqueles cujo aparato que exibe, nos eventos que participa como modelo; desfila de forma impecável e com muita elegância… É SEM DÚVIDA A EVOLUÇÃO DOS TEMPOS…

 
Adelaide Pajuaba Nehme – ALAMI

Meu querido irmão

Meu querido irmão,
Vivemos a história de um grande amor. Longos anos de cumplicidade, alegria e sofrimentos também… É normal.
Mas, uma linda e unida família, um exemplo a ser seguido por todos.
De repente o extremo do fim nos deixam órfãos de um grande amor, nossos pais.
Tudo triste, cenas de despedida e dor, olhos lacrimejando, coração acelerado suspirando a tristeza da solidão, crescia um vazio incontido que a terra e o céu resumem em transição.
A vida nos testando no eflúvio da fé, estremecendo tudo, vontade de falar, ouvir, rezar, sentir no enleio do susto – tudo acabou.
Agora, querido irmão, obrigada!
Sua presença, seus cuidados, carinhos, olhares de amor, doaçãodo tempo de descanso ou lazer, para cuidar de nossos pais. Obrigada!
Deus na sua infinita bondade estará recompensando todo este zelo, em forma de bênçãos e eflúvios do bem.
Seja feliz… A vida continua… Eles jamais serão esquecidos!!!
Seus ensinamentos, seus cuidados, sua presença, seu amor foram bênçãos iluminadas em nossas vidas.
Muito obrigada por tudo, desculpa-me talvez pelas ausências e compartilhamento. Eu tentei fazer o meu melhor eu sei,e Deus também.
Que as benesses do céu desçam sobre você luzes infinitas, prosperidade, amor, e sintonia sempre no bem. DEUS O ABENÇOA… Sua irmã Regina

 
Ituiutaba, 29 de junho de 2016

A festa

Whisner Fraga é escritor.

 

Fiz uma postagem no Facebook, que reproduz uma conversa que tive com minha menina. Pois bem, o diálogo causou uma enorme comoção entre meus contatos, amigos, fakes e agregados. Como jamais acuso ou calunio alguém em vão, reproduzo o papo abaixo, para vocês perceberem que não houve nada de mais:
– Pai, vou convidar meus amigos para virem para a minha festa de aniversário, tá?
– Mas você não vai ter festa de aniversário!
– Eu tô falando a do ano que vem, quando eu fizer 6 anos.
– Mas ano que vem também não vai ter festa.
– Ah tá, então vou chamar meus amigos pra virem aqui à toa mesmo, tá?
A efervescência em torno do assunto foi tão grande que chegaram a criar a hashtag “vai ter festa.” #vaiterfesta. Fui acusado, a maior parte das vezes de maneira parcialmente justa, de insensível.
Vou, nas próximas linhas, tentar contextualizar o que estava rolando durante a confabulação. Eu explicava para a menina que não via grandes vantagens em gastar uma grana preta em uma festa em um salão, daqueles que têm tirolesa, arvorismo, piscina de bolinhas e outras tentações, sendo que podíamos gastar o dinheiro com alguma necessidade mais nobre.
Depois, a não ser por duas tias, muito queridas, evidentemente, não temos parentes em São Paulo, de maneira que pode haver chiadeira se organizarmos algo aqui e não darmos um jeito de a parentada toda comparecer. E rangeres de dentes são coisas que a minha idade e o meu cansaço não permitem mais que encare com a placidez e paciência necessárias.
Ela entendia tudo e, de vez em quando, me interrompia para perguntar o significado de alguma palavra. No facebook, não sei se devia ter redigido um texto maior, que fosse além do diálogo, para que todos sacassem o ocorrido. Fato é que a menina nunca ligou muito para luxos: não fica chorando nas lojas quando quer algo, não esperneia quando lhe respondemos um não. Então, quando lhe respondi que não haveria festa, ela encarou com naturalidade.
Isso porque ela sabia que a festa que vinha à minha cabeça era algo material, era algo como um local bacana, buffet do melhor, cerveja para os pais e parquinho para as crianças, de preferência com monitores extras, de modo que nenhum pirralho sofra maiores danos ao corpo. Não que eu seja pão-duro, pelo menos não me considero assim, mas penso que isso beira a ostentação.
Ao final, na última frase, Helena me explica que festa, para ela, é comemorar perto dos amigos. Quatro anos e já me ensina a verdade das coisas. É claro, menina, é claro que haverá festa. Festa assim sempre haverá.

O inato despropósito de incomodar os outros

Whisner Fraga é escritor.
O casal ia distraído, imerso em uma felicidade particular, exteriorizada pelos comentários insignificantes, ditos baixinhos, pelos olhares, um pouco cúmplices, outro tanto narcisistas, pelas gargalhadas. E, é claro, a alegria alheia incomoda. Foi assim que um senhor os abordou. Parei ali perto para acompanhar os desdobramentos dessa impertinência.
– Vocês sabem que têm uma qualidade muito bacana, mas um defeito grande? –disparou o homem aos dois.
Os três se estudavam, achei que aconteceria uma retaliação ou pelo menos aqueles que vinham contentes ignorariam o comentário e continuariam a caminhar. Mas não. Houve silêncio durante um tempo razoável. Até que a curiosidade vence:
– Como assim?, o garoto replica.
– Vocês são lindos. Essa é a qualidade. E sabem disso. Esse é o defeito.
Pensei comigo que saber de algo não pode ser um problema. Nunca poderá ser. O que fazer com algo que sabemos, aí sim, pode ser complicado. Mas o casal parecia que não dava a mínima para o mundo e, sob meu ponto de vista, isso é algo bom. Continuei rondando. Levantava a cabeça para o céu, folheava um livro, mas desconfiava que os três sabiam de meu intuito. Será que o garoto ia prosseguir? A moça seguia abraçada a ele, em silêncio, orgulhosa do namorado.
– Obrigado, decidiu o rapaz, envaidecido com o elogio.
Parece que não ligaram para a crítica. Achei bom. O casal, sabedor de sua beleza, convencido da importância para eles próprios de sua graça, não se deram conta da crítica. Simplesmente a ignoraram. Absorveram muito bem o elogio – para eles talvez uma constatação apenas, e assim julgaram aquele homem uma pessoa boa e sensata.
Como defendi, eles sabiam que eram bonitos. Que mal há nisso? Há tanto tipo de beleza por aí! E, imagino, que eles se considerassem belos apenas um para o outro, que é o que realmente importa. Escrevo isso porque, sinceramente, eles não poderiam ser encaixados nesses padrões de beleza impostos pela indústria hoje. Não eram tão magros, não eram tão altos, não eram tão claros. Mas muito bonitos, tenho de concordar com o senhor ranzinza que os abordou.
Mas não defendo a abordagem. Sou a favor do livre direito de se caminhar pelas ruas de qualquer bairro sem ser assediado. Sou a favor da felicidade, doa a quem doer. Sou a favor do abraço e do passear sem destino, a favor do sorriso, dos comentários banais e da beleza de acordo com os critérios de quem a vê. O casal era lindo, mas isso só interessava a ele.