“Os Aforismos do Ciberpajé Edgar Franco” (56)

Muito cedo percebi que os seres humanos realmente admiráveis que

habitaram esse planeta foram inevitavelmente chamados de loucos, ou
inimigos da ordem, ou iconoclastas, ou amorais, ou infiéis, ou
subversivos. Também percebi que a maioria deles foi assassinada de
maneiras torpes e cruéis, queimados na fogueira, fuzilados,
crucificados, envenenados, degolados. E infelizmente suas mensagens
foram deturpadas e pasteurizadas posteriormente pelos mesmos líderes
tiranos que eles criticavam. Apesar da iminente aproximação do fim de
nossa espécie, ainda tenho uma ponta de esperança utópica na queda dos
déspotas e no reflorescimento da conexão necessária com nossa dimensão
cósmica e natural, o caminho para a elevação do amor sob vontade,
único antídoto para evitar o colapso e a queda final da humanidade.
(Ciberpajé)
*
Preguiça, medo do novo, apego ao passado e ansiedade do futuro, apego
às coisas, às pessoas e às situações. Desconhecimento de que a
natureza e o cosmos são estruturas mutantes eternas e de que tudo será
diferente, tudo se transformará sempre. Desejo de que o mundo seja
como a mente projeta, ego e egolatria. Desconexão completa de nossa
condição de seres naturais, parte de uma biosfera simbiótica. Essas
são as grandes doenças que assolam a humanidade hoje, e elas são
alimentadas pelos líderes globais contemporâneos: os donos das
multinacionais e seus soldados obscuros, os publicitários e suas
agências de destruição do espírito humano. (Ciberpajé)
*
Não há ninguém mais doente do que um ser humano prepotente, a
prepotência é o sinal de estar preso ao fundo do abismo do espírito,
da lama mais imunda e pútrida do egocentrismo, egoísmo e
auto-indulgência. Ignore os prepotentes, ignore-os completamente, eles
não merecem seu ódio ou fúria, eles já vivem em um inferno pessoal tão
grotesco quanto o de Dante. (Ciberpajé)
*
O real sentido da vida é vivê-la, isso basta. Mas tão poucos vivem, a
grande maioria dos humanos morreu antes de completar 14 anos de idade,
mas continuaram caminhando feito robôs mortificados. (Ciberpajé)
*
Vida cósmica. A jornada nunca acaba, na exuberância dessa estrada. (Ciberpajé)
*
Edgar Franco é Ciberpajé, artista transmídia, pós-doutor em artes pela
UnB, doutor em artes pela USP, mestre em multimeios pela Unicamp e
professor do Programa de Doutorado em Arte e Cultura Visual da UFG.
Acadêmico da ALAMI, possui obras premiadas nas áreas de arte e
tecnologia, performance e histórias em quadrinhos.

 
CP/ HD – FCI/ALAMI –março/2015

Meu Dilema

Saavedra Fontes

Descobri que estou em uma enrascada daquelas. Gosto de escrever e o faço por prazer, mas está chegando a hora que parece que não dá mais. À medida que envelheço a visão vai ficando cada vez pior, a ponto de ser operado de catarata nos dois olhos e ter que me utilizar de três óculos, um para longe, outro para perto e outro para média distância. Não bastasse isso ainda preciso muitas vezes da ajuda de uma enorme lupa. Fui diagnosticado agora com um entrópio involucional bilateral, que é o reviramento para dentro das pálpebras, fazendo com que o atrito dos cílios e da pele sobre a córnea e conjuntiva provoquem irritação nos olhos, causando pruridos que incomodam e podem chegar situações mais graves.. É mais uma cirurgia, certamente.
Começo a escrever minhas crônicas e tudo parece normal, até que aos poucos enxergar vai ficando difícil, os erros de digitação vão se avolumando causando a impressão de não me dou bem com a gramática, relegando a concordância gramatical. São “esses”, que deixam de ser acrescentados no plural e letras abandonadas como órfãs no longo texto. Além disso, tenho a dificuldade de realizar uma revisão metódica, passando inadvertidamente por sobre os erros sem notá-los. Explico porque isso ocorre: a experiência de locutor de rádio deixou-me com o vício da leitura dinâmica. Caso eu escreva a palavra “saúde” no lugar da palavra “saudade”, ao fazer a revisão estarei sempre lendo “saudade”, permanecendo a palavra errada. Não sei se me expliquei bem, mas resumindo o negócio é que estou com dificuldades para ler e escrever.
Tem algo que eu sempre peço às pessoas amigas. Que é para não fugirem da realidade e ficar criando eufemismos para a velhice. Ela é realmente carrasco e nos pega na melhor fase de nossas vidas, quando já eliminamos todas as dúvidas e nosso espírito corre livre e solto, conformado e sintonizado com Deus. Não sou movido pela revolta e procuro entender os desígnios Divinos, há os que na minha idade sofrem males piores, mas no meu caso especial se os meus olhos se apagarem, se a visão me for negada, vai doer muito mais que uma dor física, Vai doer na alma…
Por outro lado ficam as opções de mudar de rumo, partir para outra, mas fazer o quê? Aprender a tocar um violão ou um piano, mas os ouvidos também estão ficando ruins. Quer saber de uma coisa, o melhor é aceitar com humildade e tranqüilidade o destino que me foi reservado. Pior seria se eu estivesse acamado, usando fraldão e falando bobagens. Ou agindo como um demente. Deus sabe o que faz! Ainda tenho o sentido do tato, que é maravilhoso, o do paladar que é gostoso e o do olfato com suas múltiplas vantagens. Ah, deixa pra lá! O jeito é ir tocando o barco até onde tiver que chegar. A vida é assim mesmo. Mas não me venham com essa de que a velhice é a melhor fase da nossa vida!

 

CP: HD- FCI/ALAMI – março/2015

Gotas para reflexão

O tempo e a vida seguem seu curso independentemente do que possa acontecer. Quando se tem a oportunidade, de transmitir ou repassar palavras de otimismo, de esperança e até de tranquilidade, não se pode furtar jamais… A época é oportuna; e os lembretes também… Tiram-nos da acomodação, e nos despertam para mudanças. Mudança com a família, com o ser amado, com os amigos e até com desconhecidos.
“Saia de casa para dar um passeio. Sorria para as pessoas. Reveja o álbum de família. Conte as estrelas. Telefone aos domingos. Diga “gosto muito de você”. Converse com Deus. Volte a ser criança. Apague totalmente a palavra “rancor” de seu coração. Diga muitas vezes “sim”. Dê uma boa risada. Leia muitos livros de sabedoria. Divirta-se. Cumpra uma promessa. Cante uma canção. Lembre-se do aniversário de seus amigos. Ajude sempre alguém. Mude sua aparência. Esteja disponível para escutar. Deixe seu pensamento viajar. Retribua um favor. Termine aquele projeto. Quebre a rotina. Tome um banho de espuma. Escreva uma lista de coisas que você gosta. Seja gentil. Escute os sons da natureza. Agradeça a Deus pela vida. Aceite um elogio e retribua. Perdoe e, principalmente se perdoe. Deixe que alguém cuide de você. Demonstre que está feliz. Faça algo que sempre desejou, e ainda não conseguiu.

Toque a ponta do pé. Observe uma flor. Evite dizer não posso. Cante debaixo do chuveiro, e curta seu banho. Saboreie cada momento de sua vida. Reformule alguma tradição familiar. Faça um piquenique junto à natureza. Não se preocupe. Tenha coragem de realizar pequenas coisas. Seja humilde diante do poder da conquista. Ajude um vizinho. Afague a criança e ajude o idoso. Plante uma árvore. Permita-se brilhar. Dê um tapinha nas próprias costas. Vibre pelo seu time, pela escola de samba, pelos amigos. Pinte um quadro, tente. Cumprimente alguém que você não conhece. Presenteie-se. Delegue tarefas, não seja centralizador. Receba as pessoas de forma afetuosa. Viva pelo prazer de viver. Procure realizar no mínimo dez dessas tarefas por dia, é saudável. Você perceberá o quanto sua vida poderá mudar durante o ano…Principalmente seu ego. O desejo de que você tenha, no olhar o encantamento da vida… No coração a plenitude do amor, a crença na grandeza de Deus e do mundo, e ainda, a beleza da vida, dos sonhos e da esperança.”
Não custa tentar, reflita essas ações. Há as que se fazem involuntariamente, sem a percepção dos resultados… Atenda bem as pessoas, ninguém tem culpa de suas perdas, de seus desencontros, de suas culpas e até de suas frustrações. Atenda o telefone,mesmo se não desejar, coloque-se no lugar do outro…A roda viva da vida e das situações movimentam-se sempre… As mudanças se diferem sem aviso prévio. O momento é para reflexão, muita reflexão…

 
Adelaide Pajuaba Nehme- Acadêmica da ALAMI
CP: HD – FCI-ALAMI – março/2015

Estatística

Whisner Fraga é escritor. Contato: whisnerfraga@yahoo.com.br
Esta semana um amigo meu se matou. Difícil de entender: tinha dois filhos lindos, uma esposa educada, bonita, inteligente, um emprego bom, estável, uma casa bonita em um condomínio fechado. Olhando de fora, parecia uma vida perfeita, o sonho de muita gente. Aparentemente era feliz, animava todas as festas em que estava presente. Aí resolveu, inesperadamente, dar um tiro na própria cabeça. Aquele método clássico em que o sujeito aloja o cano da arma abaixo do queixo, apontando para o cérebro. Até que um parente dele me contou a motivação: era homossexual e estava cansado de esconder isso. Apaixonara-se por outro homem e não via como desfrutar esse amor sem prejudicar a esposa e filhos.
Ainda sob o impacto dessa perda, vejo as redes sociais inundadas por postagens sobre um projeto de lei de um deputado da bancada evangélica. Ele deseja proibir homossexuais de adotar crianças no Brasil. Não bastasse a confusão que as igrejas promovem a respeito da diferença entre união civil e casamento gay, sou obrigado a acompanhar mais essa. Os cristãos ficam em cima do muro, acuados entre o amor ao próximo e a ordem para segregarem homossexuais. Isso em um país em que há listas intermináveis de crianças esperando por uma adoção.
O projeto do deputado define como célula familiar aquela formada pela união entre um homem e uma mulher. Aí eu me lembro de outro amigo, católico praticante, temente a Deus, como dizem, que tem duas ex-mulheres e quatro filhos. Dois filhos com uma, um com outra e outro com a terceira. Isso aparentemente não é errado em uma sociedade notadamente machista. Mas é errado chamar de família uma união como a de Adriana Calcanhoto, monogâmica, de décadas. Não acho errado qualquer fraternidade ter suas regras para o ingresso de membros. O que acho errado é essas fraternidades se meterem em assuntos que seria do âmbito particular. Essas fraternidades elegerem membros em cargos políticos para disseminarem seus preconceitos. Isso eu acho errado.
Esse amigo se matou porque não se aceitava homossexual, nunca se aceitou assim. E tentou, em nome da religião que seguia cegamente, se converter em um indivíduo normal, homem casado com uma mulher, com filhos e uma casa chique num condomínio de classe média. Não se aceitava homossexual, porque achava isso errado. Até que se apaixonou, aparentemente, contra sua vontade. Viu-se em uma encruzilhada. Me recordo de um padre que deu o seguinte conselho a um outro amigo gay: procure uma boa mulher, case-se, reconstrua sua vida de maneira digna. Como se se moldar a um projeto de sociedade fosse algo digno.
Como eu escrevi ali atrás, se as igrejas não aceitam homossexuais, a solução é simples: que os gays deixem de frequentá-las. Aliás, seria mais simples, se não houvesse dois problemas: muitos gays são religiosos e outros desejam adotar crianças. Atender os primeiros é relativamente fácil: dentro de quatro paredes, todo mundo pode exercer sua crença, sem a necessidade de intermediários. Já os segundos procurarão outras soluções, legais, como se diz. Seguirão o exemplo daquele casal homossexual paraense, que bancou uma fertilização in vitro. Hoje, eles têm duas filhas maravilhosas e normais. O porém é que não é todo mundo que consegue ver uma saída quando está encurralado. Foi o caso deste amigo que se suicidou esta semana.

 
CP: HD – FCI/ALAMI – março/2015

Expectativas e Decepções

Na vida estamos sempre à mercê de expectativas e decepções. De manhã ao acordar já nos deparamos com as lembranças de fatos que deverão ou não acontecer, bem como de pessoas que nos ajudarão ou decepcionarão, e assim até o final do dia estamos agindo em função das expectativas que criamos em relação à vida. É justamente o outro lado da moeda que nos derruba, a decepção. A queda é diretamente proporcional ao tamanho da expectativa que criamos. Parece que em relação às pessoas a situação é ainda mais grave, pois enquanto contra os fatos podemos ter algum poder de minimizar o efeito com alguma desculpa qualquer, em relação às pessoas esquecemo-nos de que cada um é o que é e oferece o que tem a oferecer. Quem se nutre de inveja, rancor e ódio, não consegue oferecer atenção, carinho e amor.

A esperança dá sabor à existência, mas é perigosa se a deixamos transformar em expectativa exagerada. Por isso é tranquilo e benfazejo o amor verdadeiro, aquele que doa sem esperar retorno. Expectativas são esperas, são reações que aguardamos, das pessoas com quem convivemos, ou dos acontecimentos que nos cercam, independentes de nossa vontade. O que nos ajuda muito é checar a expectativa em relação à realidade. Será que minhas expectativas estão coerentes com a minha realidade? O que alimenta meus sonhos não serão só fantasias? Não seria utópico esse meu desejo? Uma coisa é ser realista, outra é ser extremista. A expectativa exagerada traz angústia e como nem sempre se concretiza, nos decepciona.
Outro aspecto que deve ser considerado no relacionamento humano é a comunicação. É imperioso que as pessoas com quem convivemos, principalmente aquelas mais importantes para nós, saibam dos nossos desejos. Talvez não sejamos atendidos porque não falamos. Isso nos lembra aquele casal que por 50 anos o marido sempre comeu o interior do bolo por acreditar que a esposa gostasse da beirada, só então descobriram que era o inverso. Quando esperamos uma atitude de alguém, é preciso que essa pessoa saiba disso. Nem que seja através de algum sinal, de alguma dica. Portando verbalizar as expectativas é sempre frutífero. Desejos ocultos podem levar a impulsos negativos, você corre o risco de ser avaliado pelas aparências.
Por outro lado, a consecução de nossas aspirações depende muito de nós. É preciso sair de nossa zona de conforto para amenizar o efeito danoso da frustração, pois agindo você conhece as razões pelas quais tal ambição não se concretizou. É diferente de estar esperando acontecer. Já disse tão bem Geraldo Vandré: “Quem sabe faz a hora/não espera acontecer”.
Para concluir é bom lembrar que, na vida não basta o querer, é preciso o saber, isto é, estar preparado para receber. Além de tudo nunca deixar de sonhar por medo de se decepcionar.

 
José Moreira Filho
www.josemoreirafilho.com.br
CP: HD – FCI/ALAMI – março/2015

Conselho Curador da Fundação Cultural de reuniu-se sob nova presidência

Aconteceu na última quarta-feira, 18, a primeira reunião ordinária desse ano de 2015, do Conselho Curador da Fundação Cultural, sob nova direção, na presidência de Ênio Eustáquio Ferreira, que comandará os trabalhos do Conselho por dois anos.
Na oportunidade o novo presidente agradeceu a presença dos conselheiros presentes e reafirmou o desejo de realizar um bom trabalho a frente da Fundação, para dar sequência ao que foi realizado pelo seu antecessor, propondo nessa primeira reunião realizar a Feira Nacional do Livro, atraindo para esta cidade às atenções dos que promovem a literatura e a cultura no País, a exemplo do Concurso de Contos “Água do Tijuco de Ituiutaba”, que hoje destaca Ituiutaba nos meios culturais do Brasil.
“Se conseguirmos realizar essa feira, tenho certeza que estaremos marcando pontos, em favor da cultura do nosso município”.
Em seguida passou a palavra ao presidente, professor Francisco Roberto Rangel que por sua vez, agradeceu e cumprimentou, o novo presidente enaltecendo seu interesse pelo desenvolvimento da cultura nesta cidade. Por outro lado homenageou o presidente, que deixou o cargo depois de quatro anos respondendo pelo Conselho. Na oportunidade além de agradecer e cumprimentar, o professor José Moreira Filho, pelo excelente trabalho realizado, Em nome da Fundação entregou a ele uma placa de prata, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados na presidência do Conselho. O presidente destacou ainda o recebimento do veículo adquirido pela Fundação com a ajuda da Justiça local.

Professor Moreira recebendo uma placa de prata das mãos do presidente Rangel, em homenagens aos seus serviços prestados ao Conselho Curador quando foi presidente
No encontro foi enumerado para os conselheiros o calendário dos eventos que estão sendo realizados e os que serão realizados no sentido de promover e movimentar a cultura na cidade:
De 9 a 28 de Fevereiro na Galeria de Antiguidades – Exposição sobre o Carnaval;
Nos mês de março, nos dias 6, 7, 8, 13, 14, 15, 20, 21, 22, 27 e 28, das 19h às 22h – Feira de Artesanato, na Praça Cônego Ângelo). Realização da AMAI;
Dia 6/03, às 20 horas – Em local a ser definido – Comemoração do Dia Internacional da Mulher
Dia 8/03, às 8h – Apresentação da Banda de Musica José Castanheira, na Inauguração do CEU – Centro de Artes e Esportes unificados
Dia 9/03, às 8h – Lançamento da exposição de fotos de Ituiutaba, através dos tempos (MUSAI);
Dia 10/03, às 8h – Lançamento do Guia Turístico de Ituiutaba e inicio do projeto Educar
Dia 21/03, às 19h – Apresentação da Banda de Musica Municipal
Dia 27/03, às 20h – Espetáculo Teatral e Feira de Artesanato da AMAI.
Não havendo nada mais a tratar o presidente encerrou a reunião, marcando outra para o final do mês de março.
Saiba mais sobre Ituiutaba, acesse: www.portalituiutaba.com.br
(Ituiutaba, 27 de fevereiro de 2015).

Fundação Cultural está lançando Guia Turístico que destaca desenvolvimento de Ituiutaba

A Fundação Cultural está lançando um Guia Turístico (Folder), em que destaca o desenvolvimento por que passa Ituiutaba, Cidade Pólo e Universitária, abordando sua economia, sua atividade agropecuária, comércio, indústria, turismo e prestação de serviço. Com destaque especial para sua atividade educacional e cultural, tendo como destaque especial suas universidades: Estadual, federais, particulares e virtuais.
O Folder destaca também os eventos sociais, religiosos e culturais que são realizados, de janeiro/dezembro, pela Fundação Cultural, pelas entidades e pela gente tijucana. Destaque para o Concurso de Contos “Águas do Tijuco de Ituiutaba”, este ano em sua 4ª edição.unnamed
O folder mapeou trinta e oito pontos turísticos desta cidade, onde as pessoas que nos visita encontrará a lendária Serra do Corpo Seco, Catedral de São José, Fundação Jerônimo Mendonça, que possui uma arquitetura, segundo os espíritas nos moldes de Colônia Espiritual existente no mundo dos espíritos; o prédio onde funciono o MUSAI, construído em 1913 e a ponte histórica sobre o Rio Tijuco, sustentada por cabos de aço, depois de quase ter rodado na enchente de 1957. E que levou anteriormente outra ponte, deixando a cidade sitiada.
Mostra sua gastronomia, a boa comida servida em nossos restaurantes, churrascarias e pizzarias, onde os visitantes, além, da iguaria servida degusta, um ótimo aperitivo, a nossa cachaça feita artesanalmente, considerada uma das melhores do país. Mas ainda aborda nossos confortáveis hotéis, onde os empresários e qualquer pessoa que nos visita, hospedam-se confortavelmente e com economia.
O Guia Turístico focaliza também o nosso artesanato, que pode ser encontrado na Loja do Artesão, sob a administração da AMAI.

 

frente
Outro item importante destacado no Folder e o setor de infraestrutura, mostrando o desenvolvimento urbanístico da cidade, que esta entregando a população 17 novos conjuntos habitacionais, mais de 8,5 casas populares, isto depois de vinte anos, sem à cidade ter construído uma unidade habitacional se quer. Mostra o Centro Turístico Camilo Chaves Neto e o Estádio de Futebol, Júlia Prado (Tijucão), com capacidade para 18 mil expectadores, que estão sendo construídos, dentre outros.
Para o presidente da Fundação Cultural, professor Francisco Roberto Rangel, o lançamento desse Guia Turístico, destacando o desenvolvimento que passa esta cidade, nada mais é, do que a grande realidade que estamos vivendo, que pode ser comprovada e que muitos se negam a aceitar e ver.

 
Saiba mais sobre Ituiutaba, acesse; www.portalituiutaba.com.br
(Ituiutaba, 25 de fevereiro de 2015)

A Fundação Cultural terá oficina de Zumba Toning

O Espaço Cultural Benedito Santana, da Fundação Cultural de Ituiutaba está lançado à oficina de Zumba Toning, dança precedida de exercício físico que fortalece a estrutura muscular daqueles que a praticam.

Zumba Toning criado para enfatizar o trabalho muscular, juntamente com ritmos, combinação de exercícios cardíacos e de resistência dinâmica, que melhora o desempenho geral. Este programa de dança e tonificação de inspiração latina inclui também, treinamento seguro e eficaz com combinações de ritmos usando as mesmas músicas, o que contribui para a diversão e deleite dos praticantes.
O programa ZUMBA TONING cria atmosfera de festa mais que qualquer outro programa zumba, porque é emocionante, diferente, desafiador e eficaz, e proporciona um novo caminho á atividade com o uso de pesos, para os participantes.Zumba
Os Benefícios do Zumba Toning são:
Melhora da definição/força/tônus muscular; Melhora do equilíbrio muscular e postura; Função metabólica influente; Alteração da relação massa magra/gorda; Melhora da função neuromuscular e outros.
Os praticantes dessa dança são Beneficiados no geral com:
Melhora na resistência cardiovascular; Melhora na resistência muscular geral; Melhora na densidade óssea, prevenção da osteoporose; Melhora coordenação e agilidade, controle do peso ou perda de peso. E o mais importante: a capacidade de realizar atividades sem dor nas atividades diária.
Maiores detalhes sobre essa oficina de dança que será ministrada pela professora de dança, Luciana Maciel, de segunda e quarta, das 20 às 21 horas, o Espaço Cultural Benedito Santana, na Rua 24 com Avs. 19 e 21. Nº 1342, (034) 3261-4113. Centro.

“Os Aforismos do Ciberpajé Edgar Franco” (55)

Tiranos e déspotas governam esse mundo, destruindo tudo em nome de

seus interesses egóicos, erigindo impérios de egolatria, acumulando
riquezas através da pilhagem de Gaia, das outras espécies e até de
seus irmãos de jornada. Eu sou a voz da desobediência, sou o ruído que
ressoa através das rachaduras desse sistema criado sob a dor e o
assassínio. Minhas pedras não possuem a força de suas bombas de
neutrons, mas são puras e acertam no ponto frágil de suas estruturas
arcaicas e apodrecidas, auxiliando gradativamente na sua ruptura.
(Ciberpajé)
*
Concordo que passou da hora de a humanidade ser regida pelo princípio
feminino. A era do princípio masculino, que infelizmente tem usado
apenas seu lado obscuro para dominar, pilhar e tiranizar, tem que
acabar. No entanto, infelizmente, praticamente a totalidade das
mulheres que tenho visto alcançarem o poder em todas as instâncias –
da chefia de uma pequena empresa à chefia de uma grande nação -, são
pessoas de sexo feminino totalmente corrompidas e sob a égide do velho
princípio obscuro masculino. Resultado também de uma busca equivocada
de igualdade que confunde a necessidade indiscutível de direitos
iguais, com um cacoete burro de imitar o comportamento e as atitudes
mais imbecis do dito gênero dominante. O resultado disso é que essas
mulheres regidas pelo princípio obscuro masculino acabam fazendo mais
estragos que os tiranos homens. Louvo o sagrado feminino e espero que
em algum momento ele encontre seu espaço para brilhar e liderar esse
mundo cada dia mais egóico e abissal. (Ciberpajé)
*
A vontade só pode ser ativa em um ser solitário que se ama. Aquele que
não necessita da aprovação dos outros para agir, que não migalha amor
e atenção, que não sofre da doença do apego a coisas e seres. E só
existe uma forma de amor, o amor sob vontade, todas as outras formas
são ilusões vãs. (Ciberpajé)
*
O sofrimento é inerente ao ser, mas a forma com que lidamos com esse
sofrimento é a chave para o equilíbrio interior. Viver o sofrimento
intensamente e deixá-lo ir embora, eis o segredo. É como acontece com
uma criança, ela caí e rala o joelho, ela chora, grita de dor, sem
nenhum pudor, ela vivencia a dor, se entrega a ela com intensidade,
por isso, em poucos minutos estará sorrindo novamente, já em um novo
estado de espírito. O forte é aquele que se entrega a dor, não o que a
reprime. A repressão contínua da dor emocional leva à raiva, que leva
à tristeza, que finalmente leva à depressão e à morte. Seja um forte e
viva com intensidade suas dores, mas sem nenhum apego a elas, pois
êxtases luminosos são seus também por direito cósmico! (Ciberpajé)
*
Não odeio nenhum ser, não tenho raiva de nada, nem de ninguém! Ter
ódio é dar energia, é dedicar-se também a uma causa, é focar-se em uma
emoção negativa e que gera energias nefastas. É verdade que falo
veementemente sobre muitos seres idiotas, mas sem ódio nenhum, ou
rancor, ou raiva, talvez um mínimo de compaixão ativa, numa tentativa
quase inócua de tirá-los de sua letargia. Pois apesar dos pesares
ainda admiro e amo nossa controversa e bela espécie humana.
(Ciberpajé)
*
Edgar Franco é Ciberpajé, artista transmídia, pós-doutor em artes pela
UnB, doutor em artes pela USP, mestre em multimeios pela Unicamp e
professor do Programa de Doutorado em Arte e Cultura Visual da UFG.Acadêmico da ALAMI, possui obras premiadas nas áreas de arte e
tecnologia, performance e histórias em quadrinhos.

 
CP: HD – FCI/ALAMI – fevereiro/2015

FRATERNIDADE- IGREJA E SOCIEDADE

Após os festejos de momo, em que se sugam o máximo dos momentos de diversão carnavalesca, em que a realidade dá vazão às fantasias, em que o consumo exagerado de bebidas, apodera-se dos controles racionais, surge a Campanha da Fraternidade, no despertar das cinzas…Pena que sua aceitação difere do entusiasmo dos foliões,pena…! SOCIEDADE E IGREJA, duas forças perenes que envolvem o Cosmos; duas forças que não podem ser antagônicas, precisam e devem caminhar sempre juntas, já que são fundamentalmente, dependentes uma da outra, e os maiores referencias do Universo: DEUS e HOMEM. Somente essa união, poderá amenizar a crise por que passa o Universo, em sua totalidade. A violência, a ganância, a ânsia do poder, o ataque desumano aos fracos, em especial às mulheres e crianças; a exploração sexual e profissional, desordenadas; o crescimento imensurável e assustador da imoralidade, das injustiças, das adversidades… Os problemas sociais crescem vertiginosamente… Tende pena do mundo Senhor ! Tende pena de nós, vossos filhos !… Será que foi só Cristo que veio para servir?!…Só Ele serviu sem interesse próprio ?! Só Ele falou as verdades ?! Será que não foi entendido…Nem sua crucificação ?!… Há os que tentam imitá-Lo… São poucos… A realidade do mundo hoje é outra, e difere do que Ele pregou e praticou desde o inicio da criação… Claro que inovações frutíferas, geradoras do bem, serão sempre apreciadas, já que sempre foi o objeto do Cristianismo… A atual situação do Planeta foge à realidade e tem assustado muito, principalmente os mais conservadores… Calor abrasador, enchentes com vítimas fatais, além de grandes prejuízos… O degelo permanente das galerias nos pólos, morte de pessoas muito jovens, pais em grandes sofrimentos, muita agressão e violência; novas epidemias, enfermidades que deixam especialistas em suspense, medicamentos que não respondem… Acontecimentos que ninguém gostaria de presenciar ou vivenciar… A irracionalidade em evidência…! Queremos o paraíso de volta! Exclama parte da humanidade que crê, que ora, que serve, confia e espera por mudanças… Mudanças várias… Mudanças necessárias, generalizadas em tudo que aí está, na própria humanidade, relativas à postura e atitudes, a aceitação, conversão, e ações… Igreja e Sociedade precisam caminhar na mesma direção, dentro dos princípios básicos da Cristandade… A Campanha da Fraternidade espera e conta com adesões e participações…. Somos todos responsáveis por uma vida melhor, um mundo melhor, como Deus idealizou… Seria fácil, se houvesse mais união de forças bem feitoras, de apóstolos voluntários, de muito amor no coração para servir. O ato de escrever, apontar e mostrar, da muita responsabilidade para quem o faz…!

 
Adelaide Pajuaba Nehme- Acadêmica da ALAMI
CP: HD – FCI/ALAMI – fevereiro/2015